Cargos são de delegado, perito criminal, escrivão, papiloscopista e agente, todos de nível superior; salários chegam a R$ 23 mil.

Polícia Federal autorizou nesta sexta-feira (20) a realização de concurso para o total de 500 vagas em cargos de nível superior de escolaridade. A portaria nº 8.380 foi publicada no "Diário Oficial da União".
 
Veja as distribuição das vagas e cargos do concurso:
 
180 vagas para agente
150 vagas de delegado
80 vagas para escrivão
60 vagas para perito criminal
30 vagas para papiloscopista
Os salários de agente, escrivão e papiloscopista são em torno de R$ 12,5 mil. Para perito e delegado, as remunerações são de cerca de R$ 23 mil.
 
Últimos concursos
Os últimos concursos da Polícia Federal foram organizados pelo Cebraspe (antigo Cespe/UnB). Em 2013, foi realizado concurso para perito criminal federal, delegado e escrivão. No mesmo ano, a PF lançou edital para agente administrativo, de nível médio, e vários cargos de nível superior, entre eles engenheiro, administrador e psicólogo.
 
Em 2014, foi a vez do concurso para agente.
 
Os inscritos são avaliados por meio de provas objetivas e discursivas, exame de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica, prova prática de digitação (apenas escrivão), avaliação de títulos, prova oral (apenas delegado) e curso de formação profissional, na Academia Nacional de Polícia, em Brasília.
 
Requisitos
Para delegado, os candidatos devem ter nível superior em direito. Para perito, o edital definirá em quais áreas de graduação serão aceitas as inscrições. Para escrivão, agente e papiloscopista, quem tem nível superior em qualquer área pode se inscrever.
 
Restrições das eleições não devem afetar concurso
Como neste ano haverá eleições para presidente, governadores e Congresso Nacional, haverá restrição na nomeação, contratação ou admissão do servidor público federal e estadual nos três meses que antecedem o pleito, marcado para 7 de outubro, até a posse dos eleitos, ou seja, de 7 de julho a 1º de janeiro de 2019. Mas, caso a homologação do concurso (divulgação do resultado final) seja feita até três meses antes das eleições, ou seja, até 7 de julho, as nomeações podem ocorrer em qualquer período do ano.
 
No caso do concurso da Polícia Federal, não há restrição para divulgação do edital, apenas para as nomeações, mas como o concurso engloba várias etapas, até que os aprovados sejam contratados, a restrição não estará mais valendo.
 
Previsão de concurso para a PRF
O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que haverá ainda concurso para 500 vagas para policiais rodoviários federais, cujo edital está sendo elaborado e também será lançado ainda neste semestre. Ele disse que pretende aumentar o número de postos de videomonitoramento de estradas.
 
Em fevereiro, quando a pasta de Segurança Pública foi criada, Jungmann anunciou que pretendia duplicar o contingente de policiais federais em postos de fronteira. Segundo o ministro, o número passará a 300 agentes. As vagas do concurso, portanto, deverão ser direcionadas para esse fim.
 
Ele também disse que vai reforçar a área de combate aos crimes de corrupção, com a realocação de 20 delegados para o setor.
 
Essas medidas fazem parte do reforço da segurança pública no país, entre elas ainda a intenção de tornar a Força Nacional de Segurança um órgão permanente.
 
O prazo para a publicação do edital de abertura de inscrições para o concurso público será de até seis meses, contado a partir da publicação da portaria, ou seja, até 20 de outubro.

Fonte: G1 https://g1.globo.com/economia/concursos-e-emprego/noticia/policia-federal-anuncia-que-fara-concurso-publico-para-500-vagas.ghtml

O secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu, anunciou na manhã desta segunda-feira (2) que o edital do concurso da Polícia Civil deve ser lançado nesta quinta-feira (5). Segundo ele, serão 350 vagas para atender todo o Estado.

O lançamento do edital faz parte de uma reivindicação antiga da categoria que já ameaçava realizar paralisações.

"Como foi prometido e vamos cumprir, o lançamento do edital será dia 05 de abril. São 350 vagas para todo o Estado. Os últimos detalhes estão sendo organizados para o lançamento", disse.

Com relação ao aumento salarial dos policiais militares, Abreu afirma que vai depender da Lei de Responsabilidade Fiscal.

"Em maio o Estado Estado deve sair do limite Prudencial. Depois disso, o aumento deverá ser concedido", afirmou. 

O lançamento do edital deve ser o último ato de Fábio Abreu como secretário. Nesta sexta-feira, ser a realizada a solenidade de troca de desligamento dele da pasta.

Filiado ao PR, o deputado federal retorna a à Câmara para concorrer à reeleição. " saímos com a consciência tranquila de ter realizado um bom trabalho. As dificuldades são muitas, mas nos esforçamos para vencer", destacou.

 

Certame oferece 1.000 vagas divididas entre os cargos de delegado, escrivão e investigador. Novo prazo não afetará o cronograma de atividades do concurso.

 As inscrições para o concurso da Polícia Civil da Bahia foram prorrogadas até o dia 9 de março, segundo informações da Secretaria da Administração do Estado (Saeb), responsável pelo certame. Antes da prorrogação, o prazo para inscrições terminaria nesta sexta-feira (2).

Com a mudança na data de inscrições, o novo prazo para pagamento do boleto, procedimento que valida a participação do candidato, se estenderá até o dia 12 do mesmo mês. A prorrogação não irá alterar o cronograma de atividades do concurso.

O processo seletivo oferece 1.000 vagas divididas entre os cargos de delegado, escrivão e investigador.

A remuneração inicial para delegados, com regime de trabalho de 40 horas semanais, é de R$ 11.389,96. Já investigadores e escrivães têm remuneração inicial de R$ 3.915,85, em regime de 40 horas semanais.

As inscrições devem ser realizadas exclusivamente pela internet, no site da Fundação para o Vestibular da Universidade Júlio de Mesquita Filho (Vunesp).

A taxa de inscrição é de R$ 160 para quem vai disputar vaga para delegado, e R$ 140 para quem for concorrer aos cargos de investigador de polícia ou de escrivão. Mais detalhes sobre o concurso podem ser conferidos no edital.

Requisitos

O candidato à vaga de delegado precisa ter diploma de conclusão do curso de bacharelado em Direito, registrado e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Já para os cargos de investigador ou de escrivão, é exigido diploma de conclusão de curso superior em qualquer área, também registrado no MEC. Para os investigadores, é preciso possuir também Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida, categoria B, no mínimo.

Das 880 vagas para o cargo de investigador, 572 serão para ampla concorrência, enquanto 264 são reservadas para candidatos negros, conforme a Lei Estadual 13.182/2014, que garante 30% do total para a para cota racial. Outras 44 vagas de investigador serão reservadas para pessoas com deficiência, de acordo com a Lei Estadual 12.209/2011.

Para delegados, vão ser 53 vagas para ampla concorrência, 25 para negros e quatro para pessoas com deficiência. Já para escrivães serão 25 para ampla concorrência, 11 para negros e duas para pessoas com deficiência.

Fonte: G1 - Bahia

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou nesta quarta-feira (28) que foi autorizado a contratar mil novos policias federais e rodoviários federais.

Jungmann, que tomou posse nesta terça-feira (27), afirmou que uma de suas primeiras ações à frente da pasta da Segurança foi acionar o Ministério do Planejamento para saber com quais recursos vai poder contar.

Ele disse que a pasta terá R$ 2,7 bilhões de orçamento para este ano e não sofrerá nenhum contingenciamento de verba. O ministro afirmou ainda que o dinheiro deverá sair do Ministério da Justiça, pasta que antes era responsável pela Força Nacional, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, órgãos agora sob a alçada da Segurança Pública.

“Sobre a necessidade e urgência de reforçar recursos humanos, especialmente na Polícia Federal e na Polícia Rodoviária Federal, estamos autorizados a fazer concursos, com 500 novos agentes para a Polícia Federal e 500 novos agentes na Polícia Rodoviária Federal”, afirmou Jungmann, em entrevista coletiva.

Segundo o ministro, os concursos para a PF e a PRF ainda não têm data definida, mas devem acontecer ainda em 2018.

Jungmann diz que Lava Jato 'continua sendo prioridade' da PF

Jungmann afirmou ainda que pretende duplicar o contingente de policiais federais em postos de fronteira. Segundo o ministro, o número passará a 300 agentes.

Ele também disse que vai reforçar a área de combate aos crimes de corrupção, com a realocação de 20 delegados para o setor. Segundo Jungmann, é uma "área que tem tido uma grande demanda".

Em relação à PRF, o ministro disse que pretende aumentar para 330 o número de postos de videomonitoramento de estradas, dentro de um programa a ser chamado de Alerta Brasil.

Além da adoção de um sistema de plantão voluntário de policiais rodoviários. O governo compraria horas de folga desses agentes.

Policiais nas ruas

O ministro também disse que a pasta quer “policiais nas ruas”. Por isso, afirmou que vai conversar com os governos estaduais sobre o tema.

Ele citou, como exemplo de situação que pretende mudar, o caso do Rio de Janeiro, que tem, segundo o ministro, um número excessivo de policiais em funções administrativas.

“Queremos policiais nas ruas, não como acontece no Rio de Janeiro, em que mais de 2500 policiais estão em atividades de outros órgãos, realizando outro tipo de atividade que não nas ruas”, afirmou.

Ele afirmou que objetivo é que o número de policiais em funções administrativas não passe de 2% do total da corporação.

Segundo o ministro, as medidas anunciadas nesta quarta são “iniciais” e voltadas para tentar resolver “gargalos” da segurança pública.

Intervenção Federal

Jungmann também comentou a intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro. Questionado sobre quais serão os gastos com a operação, ele afirmou que os detalhes ainda serão apresentados pelo presidente Michel Temer.

Sobre a possibilidade de outros estados solicitarem intervenção, o ministro afirmou que não vê outro caso que justifique essa demanda.

“Não vejo, em que pese situações graves, aflitivas em muitos outros estados, eu não vejo uma outra situação que demande outra intervenção”, disse.

 

Força Nacional

Durante a entrevista, Jungmann afirmou, sem dar detalhes, que nova pasta tem a intenção de tornar a Força Nacional um órgão permanente.

Atualmente, a Força Nacional é um programa não-permanente de cooperação entre estados e União. A Força Nacional executa, através de convênio, atividades de preservação da ordem pública e atua em situações de emergência na segurança de pessoas e do patrimônio.

Segundo a assessoria do ministro, a ideia é transformar o atual modelo permanente, algo menos improvisado, com efetivo próprio, mas que continuaria a atuar através das demandas estaduais.

Fonte: G1

Interessados têm até as 23h59 de 2 de março para se inscreverem. Certame oferece 1.000 vagas divididas entre os cargos de delegado, escrivão e investigador.

Terminam na próxima sexta-feira (2) as inscrições para o concurso da Polícia Civil da Bahia. O processo seletivo oferece 1.000 vagas divididas entre os cargos de delegado, escrivão e investigador.

A remuneração inicial para delegados, com regime de trabalho de 40 horas semanais, é de R$ 11.389,96. Já investigadores e escrivães têm remuneração inicial de R$ 3.915,85, em regime de 40 horas semanais.

As inscrições devem ser realizadas exclusivamente pela internet, no site da Fundação para o Vestibular da Universidade Júlio de Mesquita Filho (Vunesp).

A taxa de inscrição é de R$ 160 para quem vai disputar vaga para delegado, e R$ 140 para quem for concorrer aos cargos de investigador de polícia ou de escrivão. Mais detalhes sobre o concurso podem ser conferidos no edital.

Requisitos

O candidato à vaga de delegado precisa ter diploma de conclusão do curso de bacharelado em Direito, registrado e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Já para os cargos de investigador ou de escrivão, é exigido diploma de conclusão de curso superior em qualquer área, também registrado no MEC. Para os investigadores, é preciso possuir também Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida, categoria B, no mínimo.

Das 880 vagas para o cargo de investigador, 572 serão para ampla concorrência, enquanto 264 são reservadas para candidatos negros, conforme a Lei Estadual 13.182/2014, que garante 30% do total para a para cota racial. Outras 44 vagas de investigador serão reservadas para pessoas com deficiência, de acordo com a Lei Estadual 12.209/2011.

Para delegados, vão ser 53 vagas para ampla concorrência, 25 para negros e quatro para pessoas com deficiência. Já para escrivães serão 25 para ampla concorrência, 11 para negros e duas para pessoas com deficiência.

Pagina 1 de 5
(function() { if( window.localStorage ) { if( !localStorage.getItem( 'firstLoad' ) ) { localStorage[ 'firstLoad' ] = true; window.location.reload(); } else localStorage.removeItem( 'firstLoad' ); } })();